Virtualização de Servidores – O que é

Virtualização de Servidores – O que é

A virtualização de servidores funciona com a utilização de um software que simula parcial ou completamente o hardware em que é executado um sistema operacional. Esse hardware não é necessariamente o mesmo do sistema hospedeiro. Essa é a

grande vantagem da virtualização, simular um hardware que não existe nativamente. Em outras palavras, na virtualização os recursos de um servidor físico são divididos em diversas máquinas virtuais. Nelas podem ser executados diversos sistemas

operacionais isolados, mas simultaneamente no mesmo hardware.

Com a virtualização de servidores os processos são distribuídos igualitariamente entre um menor número de computadores. Estes computadores chegam então mais próximos de aproveitar totalmente sua capacidade. Assim, não é mais necessário ter diversos subservidores que utilizam somente uma parte dos recursos dos equipamentos em que estão hospedados.

Um dos aspectos dessa virtualização, é que ela mascara os recursos físicos como processadores, interfaces de rede, quantidade de memória. Isso permite diminuir a administração de drivers nas máquinas virtuais e transferí-las entre diferentes servidores físicos sem preocupação com hardware.

Os principais hypervisors para virtualização de servidores são: VMware, Microsoft Hyper-V, Oracle Virtual Box, Citrix Xen Server e RedHat KVM.

Benefícios da Virtualização de Servidores

Centralização do gerenciamento;
Simplificação das instalações e economia de espaço físico;
Facilidade de backups;
Simplificação do suporte e manutenção;
Acesso controlado a dados que requerem segurança;
Independência de hardware;
Rápida disponibilização de novos servidores;
Transparência na migração de servidores para novo hardware;
Maior disponibilidade e facilidade de recuperação em caso de desastres;
Compatibilidade total com as aplicações;
Redução de custos: Com menos equipamentos físicos para se gerenciar o custo com pessoal, alocação, energia e refrigeração diminui;
Segurança: Cada máquina virtual é independente, inclusive da máquina hospedeira;
Confiança e disponibilidade: A falha de um software não prejudica os demais serviços;
Balanceamento de carga: toda máquina virtual está encapsulada, assim é fácil trocá-la de plataforma e aumentar o seu desempenho;
Suporte a aplicações legadas: Na migração para um novo sistema operacional, é possível manter o sistema antigo executado em uma máquina virtual;
Melhor aproveitamento do hardware: Com o compartilhamento do hardware entre as máquinas virtuais reduz-se a ociosidade do equipamento;
Facilidade ao migrar ambientes: Evita reinstalação e reconfiguração dos sistemas a serem migrados;
Simulações variadas, sendo possível até simular redes inteiras, inclusive as heterogenias;
Utilização de sistemas operacionais que não possuam compatibilidade com o hardware, através dos recursos de virtualização deste. Possibilita assim testes e até mesmo economia com a compra de hardware de menor custo;
Redução do down time;
Utilização de uma VM como ambiente de desenvolvimento: Possibilita testes em SO’s distintos e, por prover um ambiente isolado, evita que falhas na configuração e/ou execução, ou até mesmo vírus, danifiquem o hardware da máquina.
Aspectos Desfavoráveis da Virtualização de Servidores

A virtualização resolve e facilita muitas operações, porém é necessário avaliar se essa virtualização não trará alguns inconvenientes em situações de falha, como por exemplo, se a queima de um host físico não irá parar todas as máquinas virtuais ou então se as máquinas virtuais terão o desempenho necessário para a operações críticas.

Para que possamos abranger todos os aspectos favoráveis e também os desfavoráveis listamos abaixo algumas desvantagens que podem ocorrer, caso a implantação da virtualização não seja bem avaliada e projetada.

Uso excessivo do espaço em disco, devido à totalidade de arquivos de cada sistema operacional em cada máquina virtual;
Dificuldade no acesso direto ao hardware, tais como placas específicas ou dispositivos USB;
Grande consumo de memória RAM visto que cada máquina virtual vai ocupar uma área separada da mesma;
Gerenciamento: Os ambientes virtuais necessitam ser instanciados, monitorados, configurados e salvos. Existem produtos que fornecem essas soluções, mas requerem os maiores investimentos da área de virtualização;
Desempenho: Atualmente, não existem métodos consolidados para medir o desempenho de ambientes virtualizados. No entanto, a introdução de uma camada extra de software entre o sistema operacional e o hardware, o VM ou Hypervisor, gera um custo de processamento superior ao que se teria sem a virtualização. Vale ressaltar ainda que não se sabe exatamente quantas máquinas virtuais podem ser executadas por processador, sem que haja o prejuízo da qualidade de serviço.
Segurança: As máquinas virtuais podem ser menos seguras que as máquinas físicas justamente por causa de seu host. Se o sistema operacional hospedeiro tiver alguma vulnerabilidade, todas as máquinas virtuais que estão hospedadas nessa máquina física estarão vulneráveis.
Que empresas devem realizar a virtualização de servidores?

Qualquer empresa que possua dois ou mais servidores já pode se beneficiar com a virtualização. Já existem tecnologias para empresas de todos os portes realizarem a virtualização, inclusive soluções grátis no caso de poucos servidores.

Já as empresas que possuem dez ou mais servidores devem avaliar um produto mais robusto, que proporcione soluções em caso de eventualidades e recuperação de desastres.

Deste modo, cabe ao profissional de TI escolher a melhor solução de acordo com as necessidades e condições financeiras da empresa.
Por isso a Dunamys oferece suporte de consultoria na identificação da melhor solução para que o projeto de virtualização seja implementado com as vantagens econômicas, funcionais e integralmente voltado para o progresso das empresas.